Aconteceu na noite dessa quarta-feira, 29, uma audiência pública em homenagem ao Dia do Maçom, festejado todo dia 20 de agosto. A data comemorativa foi instituída pela Lei Municipal Nº 1.646/2009. A articulação para o evento foi do mandato do vereador Valdemir Dias (PT) que agradeceu a todos os presentes e comemorou pelos grandes feitos na maçonaria.

O caminho da caridade – O Conselheiro do Grão Mestre, Jovan Pereira Andrade, fez uma análise das ações desenvolvidas pela Maçonaria em Vitória da Conquista. Ele citou campanhas humanitárias e ações de cunho social como o Natal sem Fome, Campanha do Agasalho, construção de casas para os mais necessitados, doação de uma ambulância para a Casa do Amor, construção de um módulo para 13 novos internos da Cotefave e da casa de acolhimento para 22 idosos, entre outras. “Hoje foi um momento de reflexão em que constatamos que nós maçons temos trilhado um caminho certo, de ações necessárias para o desenvolvimento da maçonaria e da sociedade”, pontuou. “Nossa missão é nos tornarmos pessoas melhores, dignas da proteção do Grande Arquiteto que é Deus”, completou.

Princípios dos Maçons – O orador prof. Edgar Larry reforçou os princípios da Maçonaria. “Nossa missão é servir, pautados na humildade, na tolerância, prudência e sacrifício”, disse. “Buscamos aperfeiçoamo-nos como homens que de forma exemplar possa dignificar nossa pátria, família e sociedade como um todo”, completou.  Ele reforça a necessidade dos maçons estarem atentos a importância de vivenciar e internalizar esses princípios. Na oportunidade, Larry registrou a sua alergia em poder compartilhar esse momento histórico da maçonaria com a sociedade conquistense.

Maçonaria como exemplo vivo de conduta – O Delegado do 7º Distrito da Grande Loja Maçônica do Estado da Bahia (GLEB), Tony Gleyson, agradeceu à Câmara pela deferência de realizar uma homenagem ao Dia do Maçom. “Homenageando ao maçom, homenageia a Maçonaria. O trabalho é dignificante por demais”, disse o delegado. “A Maçonaria traz um exemplo vivo de condutas que devem ser adotadas. A sociedade se beneficia”, emendou Tony ressaltando o trabalho que a Maçonaria executa na vida dos homens que nela iniciam.

Maçom deve ser um homem diferenciado – O Grão-Mestre da GLEB, Arlindo Alves Pereira Neto, ressaltou o momento difícil que a sociedade tem vivenciado. “Nós estamos vivendo uma era em que a sociedade está doente. A Maçonaria prega a Liberdade, a Igualdade e a Fraternidade”, salientou Neto. O Grão Mestre da GLEB lamentou que o direito à liberdade de viver tem sido atacado, principalmente de jovens, de 14 a 22 anos, vítimas de homicídios. “Nos cinco primeiros meses desse ano, morreram assassinados 26.100 jovens. A sociedade está vivendo horas tristes”, disse ele.

Arlindo destacou que o maçom, privilegiado por ter sido iniciado, deve assumir uma postura diferenciada, pautando-se pelos valores maçônicos. “O homem que teve o privilégio de ser um iniciado tem obrigação, acima de tudo, de trabalhar para tornar a sociedade mais feliz”, apontou ele. “O maçom tem o dever de ser humano, de ajudar a sociedade, de levar à sociedade um homem diferenciado”, emendou. “Nós precisamos ter mais amor, mais carinho com a sociedade”, concluiu.

Papel da Maçonaria no Brasil – O professor Marcelo Prado Almeida palestrou sobre o papel da Maçonaria no Brasil. Ele fez uma explanação histórica, abordando países e fatos relacionados à Maçonaria. Um dos fatos foi a independência dos Estados Unidos e a inspiração nas ideias e Jean-Jacques Rousseau. Em sua fala, enalteceu a liberdade e frisou que o brasileiro às vezes a esquece. Para ele, devido aos atos de tirania a que o povo foi submetido. Almeida evocou a Inconfidência Mineira e a participação de maçons num dos principais movimentos de libertação do Brasil Colônia. Ele ainda citou outros processos históricos do país e o atual período. Para Almeida, uma das eleições mais importantes e duras para o Brasil. O professor reforçou que o conhecimento é a única forma de libertar as pessoas do obscurantismo.