Aconteceu nessa segunda-feira, 22, uma audiência pública para celebrar o Dia Municipal das Filhas de Jó. A data foi instituída pela Lei Municipal Nº 1.934/2013 e é festejada todo dia 20 de outubro. O requerimento da audiência é de autoria do vereador Valdemir Dias (PT). As Filhas de Jó renderem homenagem ao Centro de Referência da Mulher Albertina Vasconcelos e à Daniela Nascimento da Silva, grande guardiã deputada para o Distrito 2 do Grande Conselho Guardião do Estado da Bahia e digna matriarca do Capítulo Aurora Conquistense da Ordem da Estrela do Oriente.

O vereador Valdemir agradeceu a presença de todos e falou que a celebração trouxe uma reflexão importante – o respeito às diferenças. Ele lembrou que o país passa por um momento delicado, no qual é preciso defender a democracia. Segundo Valdemir, um processo barulhento e necessário.

O representante da Loja Maçônica Fraternidade Conquistense, Loja patrocinadora do Bethel 002 Conquistense da Ordem Internacional das Filhas de Jó, Cleber Flores, parabenizou os membros da Ordem Internacional das Filhas de Jó. “Nós só temos que parabenizá-las. Esta instituição vem oportunizando às nossas jovens esse aprimoramento intelectual, moral, mas acima de tudo espiritual”, disse ele. Maçom, Flores destacou o momento difícil enfrentado pelo país e ressaltou a importância de os jovens membro de ordens paramaçônicas serem exemplo de boa conduta, pautada pela ética e pelos valores espirituais. “O nosso país vem enfrentando momentos difíceis nos mais diversos campos, quer seja no campo da educação, da saúde, no campo político, mas acima de tudo no campo moral”, apontou ele.

Daniela Nascimento da Silva agradeceu à Câmara pela iniciativa. Para ela, é uma forma de divulgar a atuação das Filhas de Jó. Afirmou que não esperava a homenagem. “Eu agradeço imensamente a homenagem que recebi”, falou.

A Guardiã do Bethel 002 Conquistense das Filhas de Jó, Sheila de Castro, apontou que as meninas da Ordem estão em busca do seu aperfeiçoamento. “Essas meninas buscam aperfeiçoar o seu caráter com a prática da fraternidade, filantropia e dedicação ao próximo”, apontou ela. Castro destacou algumas figuras inesquecíveis, de acordo com ela, como José Pinheiro, maçom notável de Vitória da Conquista, e a fundadora das Filhas de Jó, Ethel Wead, que devem ser vir de exemplo de conduta pela sua dedicação em tornar a humanidade mais feliz.

Maria Clara Dantas Rocha falou dos ideais que nortearam a criação da Ordem. Rocha celebrou a data municipal e frisou que é um importante espaço para falar sobre as Filhas de Jó e o principal valor trabalhado em suas atividades – virtude.

Durante a audiência, a delegada do Núcleo da Criança e Adolescente, Rosilene Moreira Correia, apresentou a palestra “Mulheres X Relacionamentos Abusivos”. Na oportunidade, a delegada falou sobre a importância de que as vítimas denunciem seus agressores. “Tem que denunciar o agressor. Em briga de marido e mulher, você deve ser a colher”, apontou ela.

Ordem é voltada para jovens – As Filhas de Jó compõem uma Ordem discreta de princípios fraternais, filosóficos, iniciáticos, e filantrópicos, apoiada pela Maçonaria e destinada à jovens do sexo feminino entre 10 e 20 anos, visando o aperfeiçoamento do caráter. A Ordem se baseia nos ensinamentos bíblicos sobre a vida de Jó, sua paciência perante os desafios e provações pelos quais teve de passar. A ordem está presente em alguns países: Canadá, Austrália, Estados Unidos, Filipinas, e Brasil. As Filhas de Jó estão em nosso país desde 1993. No seguinte, chegaram a Vitória da Conquista, através do Bethel Conquistense Nº 002. A Ordem das Filhas de Jó Internacional foi criada no dia 20 de outubro de 1920, na cidade de Omaha, no Estado de Nebraska, Estados Unidos, pela senhora Ethel T. Wead Mick e possui como base o capítulo 42, versículo 15 do Livro de Jó: “Em toda a Terra não se encontraram mulheres mais justas que as filhas de Jó e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos”.