thumbnail_IMG_20160820_180137

A Câmara Municipal de Feira de Santana realizou, na noite da quinta-feira (18), uma sessão solene para  celebrar  o Dia do Maçom, atendendo à Lei 350/1998.

Fizeram parte da mesa de honra, o 1º vice-presidente da Casa da Cidadania, vereador Roque Pereira, que presidiu a solenidade; o senhor Jairo Vitor Alves de Souza, membro da Loja Maçônica Segredo, Força e Aliança, assessor do prefeito Municipal José Ronaldo de Carvalho, que na oportunidade representou o chefe do Executivo; os homenageados da noite com a medalha alusiva ao Dia do Maçom, os senhores José Virgínio dos Santos (Loja Maçônica Luz do Sertão); Valdir Vieira da Costa (Loja Maçônica Cavaleiros de Aço) e Marco Antônio Carneiro Lacerda (Loja Maçônica Luz da Princesa); além do palestrante do evento, o professor Adenilson Souza Cunha Júnior.

O vereador Welligton Andrade, após cumprimentar os presentes, lembrou-se dos saudosos irmãos Carlos Antônio de Moraes Lucena e Délio Monteiro, para os quais, quebrando o protocolo, solicitou um minuto de silêncio. Em seguida, o edil ressaltou ainda a honra em saudar tão digna instituição, de indiscutível relevância para a sociedade, citando preceitos como ética, moral e dignidade, além de liberdade igualdade e fraternidade como sendo legados deixados pela Maçonaria.

“Somos os pedreiros, temos a régua e o compasso, temos o nível e o prumo, portanto, cabe a nós edificar um mundo melhor. Cabe a nós, maçons, sermos transformadores da sociedade”, afirmou.

Na sequência, o professor Adenilson Souza Cunha Júnior mestre maçom da Loja Filadélfia (Vitória da Conquista) proferiu uma palestra alusiva ao Dia do Maçom, tendo o palestrante, após saudar a todos os presentes, discorrido sobre o tema: A Maçonaria e a Formação do Pensamento Social Brasileiro, inicialmente referindo-se ao contexto do estudo da maçonaria propriamente dito, seguido de trabalhos produzidos sobre a maçonaria, a exemplo de “Olhares da Maçonaria sobre a Educação no Brasil”, muitas vezes desconhecidos pelos próprios maçons.

Prosseguindo, o professor também comentou a relação da maçonaria com o poder, conceituou o pensamento social e o significado da maçonaria na construção deste pensamento.  “Além da questão acadêmica, nós nos debruçamos em pesquisa sobre a maçonaria, algumas emergem para que a maçonaria contribui para a formação da constituição do pensamento social brasileiro”, disse.